Tudo sobre educação física: entenda os motivos para ser um especialista da área

A área profissional do educador físico é ampla e dispõe de diferentes campos de atuação. Não por acaso, o mercado de trabalho apresenta grande concorrência, o que torna necessário diferenciar-se por meio de qualificação, especializando-se em novas áreas e direcionando a carreira para novos caminhos.

Pensando nisso, desenvolvemos um artigo para contar tudo sobre a profissão do educador físico e a importância do aprimoramento para tornar-se um profissional acima dos demais. Continue conosco para entender os motivos para se especializar na área!

Afinal, você é um profissional de educação física de qualidade?

No cenário atual do educador físico, costuma-se ouvir que o mercado de trabalho está saturado, que são poucas as oportunidades e que a remuneração não vale o esforço. Contudo, é o profissional quem decidirá se as afirmações se aplicam ou não ao seu trabalho.

O campo da educação física cresce a cada dia e, consequentemente, sua concorrência também aumenta. Por isso, tornar-se um profissional de qualidade é a melhor saída para ascensão no mercado de trabalho. O aperfeiçoamento permite ao educador adquirir habilidades desejadas no mercado, para direcioná-las para carreiras específicas e aumentar suas chances e oportunidades.

Ao especializar-se em uma pós-graduação, o profissional define o sucesso de sua carreira. A qualificação permite adquirir conhecimento com conteúdos específicos em áreas direcionadas, que exijam desenvolvimento intelectual e experiências.

O conhecimento aprofundado o habilita para novos campos, como a especialização em fisiologia do exercício aplicado às doenças crônicas não transmissíveis, para o educador físico trabalhar na promoção e reabilitação de saúde de pessoas com doenças crônicas.  

Também ajuda no crescimento pessoal e profissional do indivíduo, deixando claro que tem a capacidade e determinação de assumir e realizar compromissos, além de aumentar as responsabilidades como educador físico, o que permite a ele ser valorizado e reconhecido em seu ambiente de trabalho, recebendo maior destaque em seu currículo.

Um profissional de qualidade também melhora sua faixa salarial, pois a especialização permite a ascensão de posição, melhorando propostas de emprego para cargos específicos, mais altos e com melhor remuneração.

Realizar um aperfeiçoamento possibilita ainda aumentar o networking (rede de contatos), ou seja, que o profissional conviva com outros profissionais que possam colaborar na troca de conhecimentos, experiências e parcerias.

Quais os desafios do dia a dia desse profissional?

O curso de educação física se tornou uma formação de nível superior apenas em 1969, depois do aumento da carga horária mínima para três anos, concedendo título de licenciatura pelo Conselho Federal de Educação (CFE).

Alguns defendiam a divisão do curso para Licenciatura e Bacharelado, sendo licenciatura para o profissional que atuaria em área escolar, e bacharelado para áreas como academias, clubes e iniciação esportiva.

Em 1996, houve melhorias na área da educação física por meio da Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional, com a introdução da disciplina como obrigatória na grade curricular das escolas brasileiras, reconhecendo como área de estudo relevante na formação global dos cidadãos.

Desde sua criação até os dias atuais, são grandes os desafios enfrentados pelos educadores físicos. Muitas vezes, esse profissional é visto como somente um recreador pelos demais professores e gestores no grupo escolar, não tratando a disciplina com devida importância.

No ensino superior, a educação física enfrenta desafios como demonstrar a valorização e crescimento nessa área, além do conceito do papel fundamental que tem para a evolução do indivíduo. A visão simplista da educação física como apenas uma prática de divertimento isenta de ciência é outro fator que contribui para a inferiorização da área no currículo escolar e formação pessoal.

educação inclusiva é um grande desafio para todas as áreas da educação, e não seria diferente para os educadores físicos. A inclusão nas escolas ainda é algo complexo e, muitas vezes, falho. Incluir pessoas especiais na educação física ainda desafia a maioria dos profissionais, por não saberem como implementá-la. Manter-se atualizado na área por meio de especializações é uma das formas de ter sucesso nesse campo.

O grande número de influenciadores digitais e coaches também desafia a vida dos educadores, aumentando a concorrência no mercado. Pessoas sem formação na área que aproveitam de estratégias de marketing para promover corpos esculpidos e estilos de vida, criando tendências que se espalham rapidamente por academias, clubes e outros espaços.

Apesar de atraírem um grande público, colocam em risco a saúde e bem-estar desses indivíduos, já que alguns dos influenciadores, ao contrário dos educadores físicos, não apresentam nenhuma formação profissional adequada.

Contudo, cada dia mais, os profissionais têm se adequado a essa realidade, promovendo medidas para aproveitar o poder do marketing digital. Afinal, ser um influenciador digital com formação profissional e experiência passa credibilidade e segurança para seu público. 

Quais as áreas de atuação do profissional de educação física?

A área de trabalho do educador físico é ampla, e dispõe de diferentes campos para atuação. São inúmeras especializações nos mais diferentes âmbitos, permitindo ao profissional escolher a que mais lhe atrai. Veja aqui algumas delas.

Educação Infantil

A pós-graduação em educação infantil aborda atividades físicas para crianças em idade de desenvolvimento. Além de lazer e recreação, os exercícios são oportunidades ideais para combater o sedentarismo infantil, frequentemente desencadeado pela diversão eletrônica e virtual. O profissional é estimulado a refletir sobre aspectos relacionados ao processo pedagógico, didático, avaliação e seleção de conteúdo programático.

O profissional que escolhe trabalhar na educação infantil pode se especializar em Aprendizagem e Desenvolvimento Motor, curso que fornece a ele conhecimentos fundamentais sobre o desenvolvimento motor e aprendizagem ao longo da vida, capacitando o educador para propor intervenções com base nesse conhecimento.

O curso também propõe que o educador amplie o olhar sobre a criança, ao conhecer sua cultura, inserir discussões sociais e incluir práticas pedagógicas que respeitem a diversidade. Além de escolas, o profissional também atua no processo educacional em centros esportivos, clubes, instituições e empresas públicas e privadas.

Condicionamento Físico

O profissional que se especializa em condicionamento físico nem sempre está limitado a academias, apesar de atuar nessas instalações ministrando treinos individualizados. Para tornar-se um especialista capaz de intervir em avaliações, prescrever, e orientar exercícios funcionais e de força para diferentes públicos, analisando e respeitando os limites de cada um, o educador tem como opção a pós-graduação em Treinamento Funcional e de Força.

Sua atuação é de extrema importância, pois auxilia o aluno a desempenhar atividades seguras, com qualidade e evitando lesões. Pilates, Treinamento Funcional, Crossfit e HIIT (treinamento intervalado de alta intensidade), são alguns exemplos de atividades que podem ser ministradas pelo educador especialista em condicionamento físico.

Pode ser executada não só em academias particulares, mas também em espaços físicos, como parques, residências, condomínios, praças e clubes. Só é necessário que o espaço seja apropriado à prática das atividades previstas no programa desenvolvido para o aluno. 

A preocupação com a saúde e bem-estar cresce a cada dia, o que faz que esse profissional seja mais procurado por pessoas que querem garantir seu condicionamento, usufruindo de espaços privados e públicos, com aparelhos simples ou rústicos.

Atividades aquáticas

Somente uma especialização em natação e atividades aquáticas é capaz de formar especialistas com maior capacitação para atuarem em atividades aquáticas no lazer, esporte e saúde. Assim sendo, ela analisa os pressupostos técnicos e pedagógicos que financiam a aplicação, avaliação e elaboração de programas voltados para o desenvolvimento da aptidão aquática no treinamento, aprendizagem e aperfeiçoamento em esportes para diferentes públicos.

Esse profissional leciona da iniciação e modalidades fitness até nados competitivos, polo aquático, nado sincronizado, nado para salvamento aquático e outros. O educador que ensina em escolas aplica metodologias que usem a coletividade e ludicidade com os alunos.

Quando incluída no planejamento escolar, a natação contribui para a formação, trabalhando o desenvolvimento motor, cognitivo, socioafetivo e outros. O educador deve criar situações de desafios e superação para o aluno, mesmo quando o esporte for individual, com a intenção de criar vivências aquáticas que facilitarão o domínio do esporte.

Sendo a piscina um espaço educativo, o papel do educador físico é essencial em todos os processos, para desenvolvê-los de forma gradual e evolutiva, ao respeitar as expectativas dos alunos e, assim, criar um espaço pedagógico e inclusivo, a fim de facilitar a aprendizagem e vivência.

Tratando-se de grupos especiais como gestantes, bebês, idosos, portadores de necessidades especiais, pessoas que necessitam de reabilitação postural e asmáticos, as atividades aquáticas têm grande importância, o que gera inúmeros benefícios, que somente a prática física em meios líquidos pode proporcionar.

Os benefícios da natação e da hidroginástica

A natação e hidroginástica são recomendadas às gestantes devido a vantagens como melhora na oxigenação, equilíbrio, disposição, ativação da circulação sanguínea, entre outros. Para bebês, a natação oferece benefícios como a melhora do desenvolvimento neuromotor, fortalecimento da musculatura, melhora do sono e apetite, mobilidade, sociabilização, entre outros fatores.

Ao atender pessoas na terceira idade, o educador físico especializado nessa área ajuda a promover melhora no quadro cardíaco, pulmonar, motor e sensorial, evitando lesões às articulações e proporcionando bem-estar mental e físico.

Em caso de pessoas asmáticas, a prática contribui para melhorar a expansão da função pulmonar, o que possibilita o controle e diminuição das crises, melhora do ritmo respiratório e desenvolvimento da musculatura respiratória, conforme orientações do educador.

Por meio da hidroginástica e natação, o profissional também auxilia a corrigir e prevenir problemas posturais, principalmente, desvios na coluna vertebral. Para portadores de necessidades especiais, a utilização terapêutica da água permite ao profissional combinar variáveis para provocar um resultado significativo, que ofereça aos indivíduos prazer e promoção de saúde.

Esportes

Para o educador que decide trabalhar na área dos esportes, sua atuação é uma das mais amplas nesse campo. O profissional pode se especializar em Ciência do Desporto. Uma pós-graduação para capacitar o profissional a atuar com avaliações e treinamento físico para diferentes modalidades esportivas e faixas etárias.

O especialista nessa área recebe qualificação necessária para atuar diretamente na orientação e desempenho de atletas, por meio da elevação de resultados e impulsionamento de carreiras. O profissional é responsável por avaliações físicas e de rendimento, planejamento e aplicação de treinos, e controle da prática da modalidade, com o intuito de evitar lesões graves. 

Esses profissionais atuam também em projetos, entidades esportivas e gestão de eventos esportivos, aprofundando conhecimentos que permitam exercer as funções de gerenciamento na área com qualidade. Alguns dos esportes são:

  • ciclismo;
  • atletismo;
  • vôlei;
  • ioga;
  • lutas (boxe, muay thai, e outras);
  • futebol;
  • handebol etc.

Reabilitação

Com a intenção de reincorporar um paciente pós-enfermidade à sociedade, o profissional de educação física auxilia na recuperação de lesões, sequelas, prevenção de doenças e outros problemas físicos, melhorando o condicionamento do indivíduo.

Nesse campo, o profissional desenvolve atividades físicas de forma terapêutica, com a responsabilidade de indicar, suprimir, determinar, controlar e avaliar os efeitos dos exercícios de acordo com o processo de reabilitação ou recuperação do indivíduo.

O profissional atua em equipes multidisciplinares em instituições, centros de reabilitação, clínicas de emagrecimento, escolas de educação especial, clínicas de repouso e centros comunitários. Algumas das enfermidades em relação às quais o profissional de atividade física desenvolve tratamento para reabilitação são:

  • ortopédicas (fraturas, algias ou deformidades);
  • reumatismo (artrite, artrose, espondilite e outras);
  • neurológicas (Parkinson, AVE — acidente vascular encefálico —, esclerose);
  • cardiológicas (hipertensão, isquemias);
  • respiratórias (asma, enfisema, DPOC, bronquite crônica);
  • endócrinas (obesidade e diabetes);
  • geriátricas.

No tratamento de doenças, o profissional avaliará as limitações físicas do paciente e quais adaptações podem ser desenvolvidas para garantir sua prática segura e capaz de ser realizada, seja ao ar livre, seja em academia ou no âmbito domiciliar.

É de extrema importância identificar quais aspectos inviabilizam a prática ou fazem com que ela não seja indicada. O profissional qualificado se destaca por esse tipo de conhecimento, sendo responsável pela prescrição do tipo, duração, volume, intensidade e execução dos exercícios.

Assim, se torna necessário que o profissional entenda seu papel na reabilitação para atuar junto à equipe interdisciplinar de maneira útil e independente do setor de atuação, diante da necessidade de garantir excelência de tratamento, reabilitação e prevenção de distúrbios psicofísicos, cardiometabólicos e funcionais.

Turismo ecológico

Essa divisão do turismo se caracteriza pelo contato com ambientes naturais e realização de atividades que promovam a vivência e conhecimento sobre a natureza. É uma área em crescimento e importante por fazer contribuições positivas para o bem-estar social, ambiental, econômico e cultural.

O profissional leva para esse ambiente a interação em práticas esportivas vinculadas à natureza e ecoturismo, como:

  • cicloturismo;
  • montanhismo;
  • kayaking;
  • canyoning;
  • boia cross;
  • escalada;
  • trekking;
  • mergulho;
  • montanhismo;
  • rafting;
  • hiking.

As atividades ligadas ao turismo ecológico são frequentemente consideradas alternativas para a prática de exercícios físicos, devido às várias implicações resultantes de sua prática, como o ambiente em que a atividade se realiza, o qual dever ser conservado e utilizado racionalmente.

Empreendedorismo na educação física e esporte

Educadores físicos atuam nas mais diversas áreas e lugares e, muitas vezes, não têm vínculo empregatício, trabalham em horários flexíveis para o aluno e com uma carga diária elevada. Em algum momento, o profissional pode querer mudar essa situação, para ingressar nos mercados de trabalho em constante expansão e obter destaque profissional.  

A autonomia de empreender e ter sua própria empresa é vantajosa, porém, nada fácil. Gerenciar uma equipe, planejar estratégias e aplicá-las aos negócios exige conhecimento específico por meio de pós-graduação, como o curso de MBA em Gestão e Empreendedorismo na Educação Física e esporte.

A especialização em empreendedorismo forma profissionais capazes de gerenciar técnicas e instrumentos voltados para atividades esportivas, formular, implantar e viabilizar ações, programas e projetos esportivos em iniciativas privadas e públicas e desenvolver conhecimentos que possibilitem a transformação do pensamento crítico e construtivo na área de gestão esportiva. 

Quais profissionais fazem parceria com o educador físico?

O trabalho de uma equipe multidisciplinar é sistematizar conhecimentos de diferentes áreas na intenção de melhorar a efetividade das intervenções e serviços prestados, resultando na recuperação e satisfação ao paciente.

A inter-relação entre os diferentes profissionais envolvidos nessas equipes ajuda a realizar uma abordagem mais ampla, enxergando o indivíduo como um todo e humanizando o atendimento.

A educação física foi inserida no contexto da saúde pública com o papel de prevenção e tratamento de doenças. Por esse motivo, a profissão dialoga com outras como meio de maximizar a qualidade no atendimento ao indivíduo. A seguir, conheça algumas profissões que fazem parceria na atuação com o educador físico.

Pedagogo

A educação física interage com a pedagogia no processo educativo, pois ambas aspiram ao desenvolvimento de processos e métodos de ensino que objetivam o crescimento do indivíduo.

O conteúdo esportivo introduzido em escolas desenvolve capacidades como:

  • habilidade motora;
  • condicionamento;
  • raciocínio;
  • formação de comportamento e valor;
  • superação;
  • tomada de decisão;
  • motivação;
  • realização;
  • perda da timidez.

Atividades como recreação, brincadeiras, jogos, luta e dança também têm grande valor na formação do aluno no sentido de desenvolvimento de criatividade, conhecimento histórico, desenvolvimento de expressão cultural, ritmo corporal, entre outros.

Em todos esses conteúdos, a integração entre as duas profissões na intenção de formar indivíduos e desenvolver tais capacidades em todos seus aspectos permite a troca de conhecimentos específicos de cada área, em uma parceria com grandes benefícios para ambos os lados, principalmente, para o indivíduo em formação.

Fisioterapeuta

No mercado de trabalho em âmbito de saúde, grandes discussões vêm acontecendo na questão da barreira que delimita o atendimento do educador físico e o profissional de fisioterapia. Porém, trocando conhecimentos específicos de cada área, a união das profissões é a melhor maneira de elevar a qualidade do serviço prestado.

Tal união pode ocorrer não só em academias, mas também em clínicas de reabilitação, clubes, spas, clínicas de repouso, centros comunitários, centros de treinamentos esportivos e outros lugares.

Nutricionista

Assim como outras profissões, a nutrição e a educação física são áreas complementares entre si. Com o aumento da população na prática de atividades físicas e preocupação com uma alimentação saudável, ambas profissões ganham cada vez mais espaço no mercado.

Como observamos, o educador trabalha de forma versátil, ao planejar, supervisionar e coordenar atividades físicas, recreativas e esportivas nos mais variados ambientes, sempre avaliando o indivíduo de forma holística.

A nutrição anda lado a lado com essas atividades, já que, para alcançar os resultados de forma satisfatória, a alimentação equilibrada é primordial para a promoção e recuperação da saúde. Por esse motivo, as práticas estão aliadas a fim de complementar as intervenções que cada profissional realiza, e auxiliar o indivíduo em suas necessidades.

Endocrinologista

É comum encontrar equipes multidisciplinares que contam com um educador físico e um endocrinologista. Isso porque esses profissionais estão envolvidos no processo de tratamento e prevenção de doenças de forma saudável.

A endocrinologia faz o acompanhamento de pacientes com problemas no sistema endócrino (diabetes, obesidade, hipo ou hipertireoidismo, síndrome de Cushing e outros). Para a maior parte das patologias associadas a esse sistema, os especialistas consideram a atividade física fundamental para seu tratamento.

Os exercícios físicos auxiliam no sucesso do tratamento dessas doenças, no emagrecimento, na melhora da qualidade de vida e aumento da longevidade. A parceria entre esses profissionais garante cuidado por meio de estratégias e troca de conhecimento.

Profissional de educação física e sua importância na área de saúde

Ainda que o educador físico tenha liberdade para criar projetos, a atuação na área da saúde é planejada como forma de complemento para outras áreas. Assim, atua também junto à equipe multiprofissional, com enfermeiros, médicos, assistentes sociais, psicólogos, fisioterapeutas e nutricionistas.

Profissionais de educação física podem atuar em clínicas, hospitais, unidades de saúde e outros serviços relacionados. No sistema de reabilitação, os pacientes são encaminhados a centros de recondicionamento, onde são recebidos por educadores físicos e fisioterapeutas, cada um atuando em sua área de competência.

Além da reabilitação, o profissional está envolvido na prevenção de doenças e complicações, e promoção de saúde. Em unidades básicas de saúde, o educador atua com a realização de intervenções, planejamento e execução de exercícios para hipertensos e diabéticos, além de orientação, palestras para prevenção e registros dos grupos atendidos.

Outro importante campo de atuação desse profissional é com pacientes oncológicos. Passado o tratamento e recuperação, o paciente precisa voltar a ter uma vida normal e saudável. Nesse momento, o profissional especialista é essencial. É preciso estar apto para atender o paciente com restrições, pós-cirúrgico, com fadiga decorrente ao tratamento, algias e outros problemas.

Você conheceu os amplos campos de atuação do profissional de educação física e pôde perceber que a melhor forma de se tornar um profissional de qualidade é sendo um especialista na área. Invista na sua carreira com cursos de extensão e pós-graduação em saúde, e garanta sucesso profissional e excelência em atendimento.

Pensando em como é essencial especializar-se para melhorar a atuação em todas as áreas, separamos para você nosso e-book: Educação Física Escolar: saiba como fazer um plano de aula e motivar os alunos, que vai ajudá-lo a compreender a dinâmica escolar e elaborar estratégias capazes de motivar os alunos. Aproveite a leitura!


Redimensionar Fonte
Contraste