Farmácia Hospitalar: por que se especializar nessa área?

Publicado por em 22 de janeiro de 2020
Categorias:
Farmácia Hospitalar: por que se especializar nessa área?

A especialização em Farmácia Hospitalar e Clínica é um grande diferencial na carreira profissional de Farmacêuticos. Tanto no âmbito assistencial quanto na parte técnica e administrativa, por isso entender a relevância desse ramo no setor da saúde é essencial para a prestação de um serviço de excelência. Portanto ter uma especialização nesta área, tornou-se obrigatório nas contratações.

Antes de mais nada, a proposta deste artigo é explicar o que é o papel da Farmácia Hospitalar e clínica, assim como quais são os seus objetivos dentro de um hospital e os impactos positivos desse trabalho. Além disso você verá também quais são as atribuições do farmacêutico,  bem como qual é o perfil desse profissional e como uma pós-graduação nessa área pode dar um upgrade na carreira. Assim sendo, acompanhe!

O que é a Farmácia Hospitalar?

A farmácia hospitalar é uma unidade indispensável dentro de uma instituição. Pois o seu objetivo é promover uma assistência à saúde com um alto padrão de qualidade por meio das atividades de assistência farmacêutica.

A Farmácia Hospitalar é uma unidade integrativa e que desempenha, de acordo com seu gestor, importantes funções clínicas e administrativas. De tal forma que para desenvolver esse trabalho, a farmácia precisa ser bem organizada para que os materiais médicos e medicamentos sejam eficazes e tenham o menor custo possível.

Esse trabalho por sua vez é realizado em consonância com a equipe multiprofissional, e dessa forma, deve priorizar o uso racional de medicamentos, a segurança do paciente, a eficiência e a excelência nos serviços prestados.

Quais são os objetivos da Farmácia Hospitalar?

No Brasil, a Farmácia Hospitalar tem passado por um intenso processo de atualização e de modernização. Em primeiro lugar, a proposta é implantar serviços farmacêuticos cada vez mais qualificados e especializados, a fim de alcançar os principais objetivos assistenciais.

Dessa forma listamos alguns objetivos que fazem dessas unidades os instrumentos adequados à obtenção de resultados mais satisfatórios e positivos por meio do uso de medicamentos. Veja quais são eles!

Gerenciamento do uso de medicamentos

Em síntese, promover o uso racional de medicamentos em um ambiente hospitalar é uma prática que contribui para a segurança do paciente e para a otimização do sucesso terapêutico. Portanto para atingir essa meta, é necessário a participação ativa do farmacêutico clínico, para acompanhar o uso, assim como identificar e monitorar reações adversas, sugerir o melhor tratamento, esquema e regime posológico. Além de realizar as intervenções que forem necessárias de modo a oferecer o melhor tratamento, ao menor custo possível.

 Redução de custos

Um dos desafios da Farmácia Hospitalar é o custo relacionados ao estoque de medicamentos. Em virtude de o gerenciamento de estoque ser um dos aspectos críticos no processo de gestão hospitalar, correspondendo a um dos maiores centros de custos dentro de um hospital, ficando atrás somente dos custos relacionados à pessoal.

Foco na segurança do paciente

Parece contraditório, entretanto uma das principais metas de um hospital é não causar dano ao usuário. Dessa maneira, para reduzir os riscos inerentes à complexidade do ambiente hospitalar, toda a equipe de saúde, a alta direção, administração, pacientes e familiares, devem ser envolvidos neste processo. Sobretudo a farmácia hospitalar e o farmacêutico exercem um papel fundamental para o gerenciamento e vigilância no uso de medicamentos.

Quais são as responsabilidades do farmacêutico hospitalar?

O profissional capacitado para atuar na farmácia necessita ser singularmente qualificado, já que essa função compreende, entre outras exigências, a garantia de excelência aplicada a todas as etapas desse trabalho.

Compete ao farmacêutico realizar o gerenciamento de medicamentos, controlar o armazenamento e acompanhar a distribuição dos produtos. Ele precisa administrar as complexidades da cadeia de distribuição e também da renovação dos estoques.

Além disso, esse profissional deve estar familiarizado com práticas relacionadas aos custos aplicados aos medicamentos e conhecer as especificações técnicas sobre os medicamentos e produtos disponíveis.

O farmacêutico hospitalar é responsável por todo o ciclo do da assistência farmacêutica. Essa tarefa se inicia na seleção de fornecedores, padronização de medicamentos, passando pelo armazenamento e controle, finalizando com a dispensação e a utilização do medicamento pelo paciente, além do monitoramento terapêutico.

A atuação do farmacêutico hospitalar exige bastante competência, habilidade técnica e conhecimentos especializados para assumir tantas responsabilidades. Esse profissional pode desempenhar ou gerenciar as seguintes atividades:

  • gestão farmacêutica;
  • formulação de novos compostos;
  • dispensação de medicamentos
  • controle de qualidade dos produtos farmacêuticos;
  • direção e administração da assistência farmacêutica;
  • acompanhamento Clínico de pacientes;
  • educação em saúde;
  • orientação de pacientes, familiares e equipe de saúde sobre o Uso racional de medicamentos.;
  • monitoramento de Reações Adversas;
  • participação ativa no cuidado ao paciente.

Quais são as áreas de atuação do farmacêutico hospitalar?

A área de Farmácia Hospitalar é bem abrangente , portanto exige que esse profissional seja altamente especializado para desempenhar a função com competência e segurança.

Atualmente, o farmacêutico hospitalar é solicitado para atuar tanto na área de gestão associada aos custos com medicamentos e materiais quanto no gerenciamento dos riscos e dos resultados clínicos no tratamento dos pacientes.

Portanto o farmacêutico precisa ter aptidão para controlar ou manejar as comorbidades resultantes dos efeitos colaterais que, eventualmente, geram prejuízos à saúde dos pacientes. nesse sentido, a realidade do cotidiano hospitalar tem contribuído para a inserção do farmacêutico em vários setores do hospital.

Os mais comuns são:

  • oncologia;
  • pediatria;
  • geriatria;
  • psiquiatria;
  • pronto-socorro;
  • farmacovigilância;
  • unidades de emergência;
  • centro obstétrico e cirúrgico;
  • unidades de terapia intensiva;
  • gestão da qualidade e do risco.;
  • nutrição Parenteral;
  • nefrologia;
  • cardiologia;
  • atenção primária.

Como vimos, o farmacêutico hospitalar é um promotor da saúde e tem a responsabilidade de identificar sinais e sintomas de danos à saúde, bem como compor a equipe multidisciplinar na tomada de decisão.

Para exercer essa profissão com competência e segurança, é imprescindível a especialização para atuar na área. O ideal é buscar uma instituição referência no mercado — como a Faculdade IDE, que oferece uma pós-graduação em Farmácia Hospitalar e Clínica com a qualidade e excelência exigidas pela profissão.

Aproveite a visita ao nosso blog e se informe sobre a pós-graduação em Farmácia Hospitalar e Clínica em Salvador!


Redimensionar Fonte
Contraste