Síndrome de Burnout em profissionais da saúde como vencê-la?

Publicado por em 1 de janeiro de 2020
Categorias:
Síndrome de Burnout em profissionais da saúde como vencê-la?

A síndrome Burnout é uma doença ocupacional que tem por significado a estafa mental a partir de problemas relacionados ao trabalho. Embora tenha sido descoberta por Herbert J. Freudenberger em 1974, somente em 2019 teve reconhecimento na Classificação Internacional de Doenças (CID-11), pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

Devido às mudanças constantes nas formas de trabalho, essa condição está se tornando cada vez mais comum — e profissionais da área da saúde estão entre os grupos de maior atenção, já que estão suscetíveis a plantões em horários alternados e sobrecarga.

Se você sente o cansaço, esgotamento mental e picos constantes de estresse, saiba que pode estar desenvolvendo a síndrome de Burnout. Continue a leitura e descubra mais sobre essa enfermidade!

Afinal, o que é a síndrome de Burnout?

De acordo com o Ministério da Saúde, a síndrome do esgotamento profissional, ou síndrome de Burnout, refere-se a um distúrbio emocional que provoca exaustão extrema, tendo como principal motivador o excesso de trabalho.

A definição popular para quem sofre com essa condição é a sensação de que o cérebro simplesmente para de repente, como se fosse desligado.

Não raramente os profissionais se veem em situações em que se torna difícil desvincular-se do trabalho. Em alguns casos, como o de médicos e enfermeiros, emendar um plantão em outro e ter uma jornada em outra sem o descanso necessário que o corpo precisa são cenários comuns. Essas condições podem facilmente levar o profissional a desenvolver a síndrome. 

Quais são os sintomas da síndrome?

Os sinais da doença podem passar despercebidos, muitas vezes, pois se assemelham a causas comuns de rotina de qualquer pessoa, como cansaço, dor de cabeça e fadiga. Porém, é importante ter atenção ao máximo de sintomas, a fim de identificar previamente se você está propenso a ela.

Saiba mais sobre os indícios!

Emocionais

  • Tédio.
  • Sentimento de fracasso, insegurança e pessimismo.
  • Sentimento de derrota, incompetência e desesperança.
  • Ansiedade.
  • Isolamento.
  • Impaciência.

Psicossomáticos

  • Cansaço excessivo.
  • Dificuldade de concentração.
  • Dores de cabeça e musculares em excesso.
  • Problemas gastrointestinais.
  • Fadiga.
  • Taquicardia e dores no peito.
  • Resfriados frequentes.
  • Alergias pelo corpo sem causa aparente.

Comportamentais

  • Alterações de humor.
  • Cinismo.
  • Ansiedade generalizada.
  • Apatia.
  • Hostilidade.

Essas condições podem parecer familiares isoladamente, mas não devem ser consideradas normais quando aparecem em conjunto. Afinal, são os principais sintomas de uma doença que está atingindo cada vez mais pessoas pelo mundo.

Muitas vezes, os sinais não se manifestam durante a jornada de trabalho, mas quando o profissional está em casa, por exemplo. Nesses cenários, é comum que, mesmo depois de alguns dias de folga, ainda se sinta exausto, sem ânimo para nada. Inclusive chegando até mesmo a faltar no emprego.

Quais são as possíveis causas?

Como já foi dito, a síndrome de Burnout se desenvolve a partir de excesso de trabalho. Bem longe de ser uma doença de pessoas consideradas preguiçosas, essa condição é, geralmente, enfrentada por quem tem muito foco e determinação, pessoas que colocam altas expectativas sobre si mesmas, não aceitando erros, por exemplo.

Curiosamente, esse distúrbio é mais comum em mulheres do que em homens. Portanto, se você costuma ser do tipo que se dedica extremamente ao trabalho e não dá tanta atenção a vida pessoal, cuidado.

É comum que os profissionais coloquem sobre si essa pressão — ainda mais trabalhando com saúde, uma vez que outras pessoas dependem da sua dedicação. Contudo, saiba que é possível ter equilíbrio entre o profissional e pessoal sem prejudicar a sua saúde.

Como é o tratamento da síndrome de Burnout?

Muitas pessoas não buscam ajuda por confundirem os sintomas do Burnout com cansaços normais do dia a dia. Pensam que precisam de férias e que logo estarão recuperadas. Porém, caso não tratada corretamente, a síndrome pode prejudicar ainda mais a vida delas, tornando o que é prazer da profissão em esgotamento, depressão e, em casos mais severos, internação.

A análise dessa doença se dá clinicamente por psiquiatras ou psicólogos, sendo tratada com terapias e medicação adequadas. Além disso, atividades físicas são muito recomendadas aos pacientes com síndrome de Burnout.

As reações de melhora aparecem cerca de três meses após o início do tratamento. Contudo, tudo vai depender das mudanças de estilo de vida, hábitos e até mesmo das condições de trabalho que o paciente adotar.

Como reagir e evitar ao Burnout

Agora que você já sabe tudo sobre a síndrome de Burnout, é essencial que compreenda como reagir e, acima de tudo, evitar que a ação da doença em sua rotina profissional.

Sendo o estresse o principal motivador da doença, evitá-lo é o que vai fazer você ficar de fora das estatísticas do Burnout. Para isso, veja algumas recomendações!

Separe a vida pessoal do trabalho

Tenha em mente que é importante ter metas e objetivos profissionais, pois a prática faz bem e diz respeito à realização em todos os aspectos da vida. No entanto, é preciso saber distinguir o tempo de dedicação a isso e à família.

Cuide de plano de carreira e, durante sua jornada, faça o que tiver ao seu alcance para atingir bons resultados. Porém, quando estiver em casa, com amigos e familiares, dedique-se inteiramente a esses momentos. O equilíbrio é importante para que tenha uma rotina mais leve.

Passe mais momentos com a família e amigos

Por mais que a sua rotina seja corrida, busque passar mais tempo com a família e amigos. Essa troca é o que você precisa para se desligar do que acontece no trabalho e ter foco no que está fazendo, no diálogo com pessoas de outros ambientes etc.

Marque viagens, nem que sejam rápidas, além de passeios nos finais de semana. Vá a lugares que nunca esteve antes, tenha contato com a natureza e, durante esses períodos, não pense em nada relacionado ao trabalho. Aproveite ao máximo esses momentos de descanso para recarregar as energias.

Pratique exercícios físicos

A prática de exercícios físicos é um dos tratamentos do Burnout e, além disso, muito benéfica para a saúde. E não há desculpa! A falta de tempo não pode ser um impedimento para você se cuidar — pelo menos uma caminhada de 30 minutos por dia deve fazer parte da sua rotina.

A síndrome de Burnout é uma doença que merece total atenção. Agora que você já sabe tudo sobre ela, comece hoje mesmo a mudar alguns hábitos para ficar bem longe dessa condição. Caso você já esteja sentindo os primeiros sintomas, saiba que é sempre tempo de se recuperar, procurando ajuda de um profissional.

Não deixe também de compartilhar este conteúdo nas redes sociais para ajudar outras pessoas a identificarem também!

Powered by Rock Convert

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Redimensionar Fonte
Contraste