Todas as cidades

Blog

Como a computação em nuvem pode melhorar o dia a dia do profissional da saúde?

Entenda como a computação em nuvem pode melhorar o dia a dia do profissional da saúde. Conheça seus benefícios e saiba como se aprofundar nessa área em ascensão.

Como a computação em nuvem pode melhorar o dia a dia do profissional da saúde?

Já imaginou perder todos os dados disponíveis do paciente, como exames e históricos, especialmente nos casos em que a rapidez com que essas informações são encontradas e analisadas pode salvar vidas? Para evitar frustrações como essas, a computação em nuvem entra como solução ágil, flexível e segura para armazenar o volume de dados.

Não é à toa que a tecnologia teve previsão de crescimento de 35,5% no Brasil, de acordo com estudos da Associação das Empresas de Software (Abes). Afinal, especialmente durante a pandemia do coronavírus, passou a ser necessário ter em mãos tecnologias de ponta que permitissem o atendimento remoto com mais facilidade, como a prescrição de remédios e exames, além do acesso rápido a registros médicos digitais e estatísticas do hospital. 

Caso contrário, sem a computação em nuvem, seria necessário a instalação e manutenção de servidores locais na clínica médica, o que eleva os custos e a insegurança de roubos de informações, além de dificultar o isolamento social exigido para contenção da Covid-19.

O que é a computação em nuvem?

Na computação em nuvem, todos os dados podem ser armazenados em um HD fora da máquina de origem com auxílio da internet, como os serviços de Google Drive, One Drive e o iCloud, por exemplo, em que é possível acessar, editar, excluir, compartilhar e armazenar informações nesses dispositivos de qualquer lugar, bastando ter acesso a senha e login. 

Assim, ocorre uma comunicação entre os centros de dados, locais físicos espalhados pelo mundo e que oferecem alta segurança física e digital no armazenamento de informações, e os dispositivos pessoais utilizados para acessar a nuvem.

Como a computação em nuvem é aplicada na área da saúde?

No Brasil, a área da saúde é contemplada com a computação em nuvem, que recebe a transferência de dados do Sistema Único de Saúde (SUS), um dos maiores do mundo, por meio da parceria entre a Embratel, empresa brasileira de Telecomunicações, e o governo federal, que deve proporcionar a migração segura de todas as informações sigilosas e sensíveis, acumuladas no grande fluxo de dados gerados. 

Apesar das inúmeras vantagens que o projeto apresenta, trata-se de algo complexo, já que boa parte dos dados das unidades públicas de saúde não são digitalizados, e os que passam por esse processo com mais frequência, de acordo com o levantamento TCI Saúde, são os administrativos. Dentro desse contexto, fica mais difícil prevenir doenças e propor soluções dos casos.

Por outro lado, com a implantação do novo sistema, os responsáveis, como profissionais de saúde e gestores públicos, podem consultar os dados atualizados de cada estado e cidade das unidades de saúde com mais facilidade. Tudo isso deve seguir as determinações previstas na Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais (LGPD).

Quais os benefícios da computação em nuvem na área da saúde?

O SUS e diversas clínicas e hospitais em todo mundo já utilizam a computação em nuvem para otimizar os processos, o que mostra o potencial da tecnologia.

Armazenamento

O armazenamento em nuvem possibilita que diversas informações sejam mantidas de forma simultânea, facilitando a unificação de dados essenciais na otimização do trabalho de profissionais da saúde — é o caso de históricos médicos, receituários e agendamentos. Cruzar essas informações aumenta a eficiência de diagnósticos e soluções propostas.

Segurança total

Documentos e arquivos em papel podem ser perdidos com mais facilidade, além de correrem o risco de se tornarem ilegíveis com o tempo, especialmente se preenchidos a mão. 

E ainda, imagine os riscos que seria ter inúmeros dados sigilosos dos pacientes vazados, desde pessoas anônimas como famosos e autoridades políticas. Isso inclui, além de informações médicas, dados pessoais, como endereço, telefone, CPF e nome completo. Por esse motivo, os especialistas em TI da Embratel garantem o uso das melhores ferramentas para garantir o sigilo dos dados do Ministério da Saúde, 24 horas por dia.

Acesso facilitado

Na computação em nuvem todas as informações ficam centralizadas em um único local e podem ser acessadas por qualquer dispositivo com acesso à internet, desde que tenha login e senha. 

Assim, não é necessária a mediação de um profissional de TI para que os profissionais de saúde tenham acesso a informações indispensáveis, que muitas vezes precisam ser analisadas com urgência, e, agora, podem diagnosticar doenças até com informações das condições socioeconômicas registradas, o que amplia a visão do médio sobre o paciente.

Em tempos de pandemia, em que o isolamento social continua sendo necessário ainda por prazo indeterminado, contar com a tecnologia na facilitação de acesso é um benefício extremamente útil ao facilitar tomadas de decisões.

Escalabilidade

Na área da saúde, o volume de dados pode aumentar consideravelmente, principalmente em períodos de crise sanitária, como o da Covid-19, em que a entrada de novos pacientes tende a ser mais constante. 

Nesses casos, é importante contar com sistemas que não apenas permitam uma sobrecarga de dados armazenados, mas que consigam aumentar rapidamente, sem que, para isso, precise haver uma sobrecarga, comprometendo o armazenamento. É o caso da computação em nuvem.

Custos reduzidos

Considerando que a computação em nuvem não exige a instalação de máquinas, que demandaria altos investimentos em TI com manutenções e atualizações, a adoção desse sistema contribui para redução de custos a longo prazo.

Atendimento humanizado

Quando as informações a respeito dos pacientes se tornam mais acessíveis, os profissionais de saúde podem se dedicar exclusivamente a eles e tomar decisões de diagnósticos e tratamentos mais assertivos, com base no perfil de cada um e no que as informações dizem sobre os pacientes.

Prontuário eletrônico

O prontuário eletrônico tem existência anterior à computação em nuvem, mas, com ela, foi possível otimizar essa ferramenta e manter os registros dos pacientes por tempo indeterminado, garantindo a confidencialidade dos dados.

Quer dizer, a tecnologia, cada vez mais, trabalha para ajudar a sociedade, e na área de saúde isso não poderia ser diferente. Por isso, não deixe de estudar mais sobre o assunto para aprender sobre essas e outras tecnologias, como em nossa pós-graduação em gestão de informática em saúde.

Achou o conteúdo importante para o seu conhecimento? Assine nossa newsletter e não perca mais nossas atualizações de conteúdo!

Comentários

Posts relacionados

TODOS OS POSTS